PEIM significa Procedimento Estético Injetável em Microvasos, e é conhecido como aplicação de vasinhos. A técnica é uma injeção de pequenas quantidades de substância esclerosante em microvarizes ou telangiectasias, ou seja, nos vasos dilatados superficiais.

Para a realização deste procedimento, os biomédicos estetas da Acorporalle usam uma pequena e fina agulha que injetará a solução, ocasionando o fechamento e contração do vaso, aí ele será “destruído”. A eficácia do PEIM se dá aí, pois com a “destruição” deste vaso, o sangue não poderá mais penetrar, por isso ele não volta a aparecer.

Este tratamento é indicado apenas para os vasos bem finos e o número de sessões é variável, sendo necessária uma avaliação.

Recomendações Biomédicas

  • Procedimentos estéticos não-invasivos e invasivos injetáveis de não exclusividade médica reconhecidos pela Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME), em acordo com as resoluções do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), regulamentações da ANVISA e Leis Federais.
  • Estes procedimentos são de uso e acompanhamento do profissional Biomédico Esteta especializado.
  • As informações divulgadas nesta mensagem não substituem aconselhamento e acompanhamento do biomédico esteta. Antes de tomar qualquer decisão, procure um biomédico esteta especializado e associado à Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME).
  • BIOMEDICINA ESTÉTICA: Especialidade biomédica voltada ao tratamento estético do paciente saudável. O biomédico esteta atua na prevenção do envelhecimento precoce, da melhoria metabólica corporal, do rejuvenescimento facial e cutâneo, queda de cabelo, acne, manchas, estrias, celulite, gordura localizada e demais disfunções estéticas, para que a saúde, beleza, bem estar e autoestima do paciente sejam beneficiadas.
  • Imagens meramente ilustrativas. Os resultados podem variar a cada paciente.

Desconfie de:

  • Tratamentos estéticos extremamente baratos (o profissional bem qualificado tem o seu valor).
  • Insistência do profissional para realizar o procedimento.
  • Corporativismo profissional médico, eles não são os únicos que podem atuar na estética invasiva injetável.
  • Profissionais da saúde não habilitados pelos seus respectivos Conselhos de Classe, Associações, Sociedades e ou Sindicatos.