O de ácido mandélico, assim como os demais peelings, também é usado para combater o envelhecimento da pele, a hiperpigmentação, rosáceas e acnes.

Quem procura por uma pele mais jovem e sem manchas pode apostar nessa técnica porque ela promove o rejuvenescimento facial, afinando linhas finas e marcas de expressão. Além disso, o ácido mandélico clareia manchas, melhora a textura da pele e trata a acne.

Efeitos do ácido Mandélico

O ácido Mandélico ajuda na renovação celular, regula a produção de melanina e controla sebácea. Também é esfoliante suave, que em comparativo a outros ácidos que causam irritação na pele.

As vantagens do peeling com ácido mandélico é que ele pode ser usado durante o ano inteiro, porem o uso de protetor solar fator acima de 40 é obrigatório. Além disso ele pode ser usado em peles sensíveis e aquelas que tem rosáceas.

Recomendações Biomédicas

  • Procedimentos estéticos não-invasivos e invasivos injetáveis de não exclusividade médica reconhecidos pela Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME), em acordo com as resoluções do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), regulamentações da ANVISA e Leis Federais.
  • Estes procedimentos são de uso e acompanhamento do profissional Biomédico Esteta especializado.
  • As informações divulgadas nesta mensagem não substituem aconselhamento e acompanhamento do biomédico esteta. Antes de tomar qualquer decisão, procure um biomédico esteta especializado e associado à Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME).
  • BIOMEDICINA ESTÉTICA: Especialidade biomédica voltada ao tratamento estético do paciente saudável. O biomédico esteta atua na prevenção do envelhecimento precoce, da melhoria metabólica corporal, do rejuvenescimento facial e cutâneo, queda de cabelo, acne, manchas, estrias, celulite, gordura localizada e demais disfunções estéticas, para que a saúde, beleza, bem estar e autoestima do paciente sejam beneficiadas.
  • Imagens meramente ilustrativas. Os resultados podem variar a cada paciente.

Desconfie de:

  • Tratamentos estéticos extremamente baratos (o profissional bem qualificado tem o seu valor).
  • Insistência do profissional para realizar o procedimento.
  • Corporativismo profissional médico, eles não são os únicos que podem atuar na estética invasiva injetável.
  • Profissionais da saúde não habilitados pelos seus respectivos Conselhos de Classe, Associações, Sociedades e ou Sindicatos.